3. Língua falada, língua escrita e gêneros textuais

Conceito de Pré-história
Considera-se a Pré-história como o período que compreende a atividade humana desde suas origens até o surgimento da escrita. Emprega-se essa denominação desde o século 19, pois, naquela época, acreditava-se que a história de qualquer sociedade só poderia ser documentada através da escrita.
Hoje, para alguns historiadores, outras fontes, como as imagens ou os relatos orais, são tão importantes quanto a escrita no processo de resgate da história de um povo ou uma sociedade. De qualquer maneira, para delimitar os períodos, o advento da escrita passou a marcar o início da história. Portanto, as sociedades que não dominavam essa técnica ficaram conhecidas como pré-históricas e aquelas que sabiam ler e escrever passaram a ser chamadas de sociedades históricas.
Convém lembrar, no entanto, que a escrita não surgiu a um só tempo em todo o mundo. Enquanto alguns povos do Oriente Médio, como sumérios e egípcios, chegaram à escrita há mais de 5 mil anos, muitos povos da Europa só o fizeram com a expansão do Império Romano, ocorrida a partir da metade do século 1 a.C.
Pré-história corresponde ao período da história que antecede a invenção da escrita (evento que marca o começo dos tempos históricos registrados), que ocorreu aproximadamente em 4000 a.C.
Origem da espécie humana

Hominídeos: todas as espécies de primatas, inclusive o homem moderno. Os cientistas acham que foi aproximadamente há um milhão e meio de anos que algumas espécies de hominídeos começaram a se distinguir dos outros animais por sua capacidade de fabricar armas rudimentares de pau e pedra (para se defenderem e para caçar) e descobriram que certas coisas da natureza podiam ser utilizadas como utensílios.
O mais antigo hominídeo, com sinais de inteligência, foi descoberto no sul da África, numa gruta onde se encontravam ossadas fósseis, de vários hominídeos da mesma espécie, dando a entender que já viviam em grupo. Juntamente foram tiradas pedras que tinham sido trazidas de rios bem distantes, já com intenção de aproveitá-las como utensílios.
O surgimento da vida nos continentes
O homem moderno surgiu na África— entre 130 mil e 465 mil anos atrás —e, nos últimos 100 mil Anos, iniciou sua expansão
Esta afirmação se é um dos resultados mais recentes da parceria entre genética e arqueologia. De acordo com um estudo publicado na revista Nature em 7 de dezembro de 2000, os Homo sapiens partiram do continente africano em algum momento dos últimos 100 mil anos.
Dali, eles seguiram em direção à Europa, Oriente Médio e Ásia e promoveram a expansão para o resto do mundo.
O Homo erectus, surgido na África há dois milhões de anos, deslocou-se em uma primeira onda de emigração que originou o Homem de Java, o Homem de Pequim e o Homem de Tautavel (sul da França). Esses homens pré-históricos são a base da teoria multirregional, que sustenta que, a partir de um ancestral arcaico comum, o homem moderno teria evoluído simultaneamente em diferentes partes do mundo. Segundo essa teoria, na Europa, por exemplo, o Homo erectus teria originado o Homem de Neandertal, adaptado ao rigoroso clima da era glacial, que posteriormente deu origem ao Homo sapiens.
CONHECENDO ARQUEOLOGIA

É o estudo das sociedades do passado através dos vestígios materiais por elas deixados.
Compreender os modos de vida daquelas populações.
Os estudos arqueológicos podem ser sobre diferentes épocas, desde os tempos mais antigos, a partir do surgimento da espécie humana, até períodos mais próximos do presente.
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!
WhatsApp do Educando Mais!