1. Introdução a geografia

O que significa a palavra Geografia?
​O termo Geografia surge das palavras gregas "geo" e "graphos", significando, respectivamente, Terra e escrever. Geografia é o estudo científico da superfície da Terra, com o objetivo de descrever e analisar a variação espacial de fenômenos físicos, biológicos e humanos que acontecem na superfície do globo terrestre.
É considerada uma das mais antigas ciências desenvolvidas pela civilização ocidental, trazendo seus conceitos básicos delineados na Grécia Antiga, onde está se desenvolveu como ciência e método de pensamento filosófico. No início, era conhecida como História Natural ou Filosofia Natural. Podemos destacar Tales de Mileto, Heródoto, Eratóstenes, Hiparco, Aristóteles, Estrabão e Ptolomeu como grandes contribuintes no desenvolvimento dos estudos da Geografia.
 
Por que estudamos Geografia?
​Estudar Geografia é uma forma de compreender o mundo em que vivemos. Através desse estudo, podemos entender melhor tanto o lugar onde vivemos (cidade, área rural) quanto o país do qual fazemos parte, bem como os demais países da superfície terrestre.
O conhecimento da Geografia também pode abranger o estudo de um povo, de uma civilização sobre um território; em última análise, a relação entre homem e natureza, mediada pelo trabalho, tendo como resultado o espaço geográfico. A Geografia é definida como ciência que estuda as relações entre sociedade e natureza. Sendo assim, o espaço geográfico é um produto histórico da atividade humana.
 
Princípios da Geografia
​No século XIX, com o surgimento da Geografia como ciência, se fez necessária a definição de princípios metodológicos, que lhe conferem o devido caráter científico. Os princípios formulados são:
  • Extensão - concebido por Friedrich Ratzel (1844-1904): todo fenômeno geográfico tem sua ocorrência em determinada porção do território, que pode ser delimitada.
  • Analogia - também chamado Geografia Geral, exposto por Karl Ritter (1779-1859) e Paul Vidal de La Blache (1845-1918): todo fenômeno geográfico deve ser comparado a outros do mesmo tipo, para se estabeleceram semelhanças e diferenças e facilitar sua compreensão.
  • Causalidade - formulado por Alexander von Humboldt (1769-1859): todo fenômeno geográfico tem uma ou mais causas, que devem ser buscadas e explicadas.
  • Atividade - formulado por Jean Brunhes (1869-1930): todo fenômeno geográfico tem um caráter dinâmico, portanto seu estudo deve compreender sua extensão e conexidade com o tempo, pois os fatos nunca estão isolados.
  • Conexidade ou interação, apresentado por Jean Brunhes (1869-1930): os fatos não são isolados, e sim inseridos num sistema de relações, tanto locais quanto interlocais.
 
A divisão da Geografia
Muitos geógrafos dividem a Geografia em:
• Geografia física – estuda o espaço elaborado pela natureza independentemente da ação humana. Essa área de estudo compreende, por exemplo, a Climatologia (clima) e a Geomorfologia (relevo).
• Geografia humana – compreende o estudo explicativo do espaço geográfico construído pelo homem. Conta também com diversos ramos, entre eles, a Geografia da população e a Geografia agrária.
Apesar dessa divisão, a relação entre o homem e a natureza é tão íntima e complexa que, em muitos casos, não conseguimos definir onde começa o físico ou o humano, pois ambas as categorias se relacionam a quase todo momento.
Assim, com base no estudo geográfico e em conjunto com outras ciências, podemos compreender e discutir os problemas reais do mundo. Por exemplo, se analisarmos alguns aspectos problemáticos do nosso planeta, identificaremos uma série de conflitos que são estudados pelos geógrafos, como a fome, a violência, a precariedade nas áreas de saúde e educação, as guerras e outras questões que causam sofrimento a uma grande parcela da população do planeta, seja em países pobres, seja até mesmo nos mais ricos.
Reconhecer e promover mudanças nas relações existentes entre o ser humano e o espaço, para melhor agir sobre ele, é um dos principais papéis da Geografia, pois, para transformar o mundo, é preciso conhecer o espaço habitado. Para isso, esse campo dispõe de técnicas e métodos próprios, auxiliados pela produção e interpretação de mapas, que facilitam a compreensão dos fenômenos.
 
Noções de espaço: conceitos e mudanças
Quando afirmamos que as sociedades humanas modificam e organizam o seu espaço de vivência, estamos nos referindo às transformações que ocorreram, primeiramente, no espaço natural. Esse espaço natural se transforma em um espaço modificado, correspondente à natureza humanizada. Os dois espaços, natural e modificado, são denominados espaços geográficos.
Como podemos saber, ao olhar uma paisagem, se ela é um espaço natural ou modificado?
O espaço natural é formado por elementos criados pela evolução e dinâmica da própria natureza, sem a interferência humana.
O espaço modificado ou humanizado compreende elementos criados pelas sociedades humanas.
Possivelmente você percebeu que um espaço geográfico pode ser formado por elementos criados em momentos históricos distintos. As modificações na paisagem são visíveis.
Portanto, os espaços também refletem as mudanças que foram ocorrendo ao longo do tempo em determinada sociedade. Os elementos mais antigos permitem conhecer a história desses lugares e são importantes registros históricos.
Cada sociedade construiu e constrói um tipo característico de espaço geográfico, integrado ao meio natural em que se insere e de acordo com sua cultura e suas ideias. As habitações, os trabalhos desenvolvidos, a forma de organizar as cidades, a produção de bens, as relações pessoais, entre outros aspectos, marcam um espaço geográfico.
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!
WhatsApp do Educando Mais!