4 - Terremotos

 Neste Tema, você vai estudar as causas dos terremotos e as consequências desse fenômeno para as cidades e as pessoas.
• Você já ouviu falar de tremores na Terra? Se sim, você lembra em qual país ou continente ocorreram esses tremores? Quais foram as suas consequências?
• Quais você imagina que sejam as causas desses tremores? Em sua opinião, eles também têm relação com as placas tectônicas? Por quê?
• Por que os tremores de Terra são pouco sentidos no Brasil, mas já aconteceram com grande intensidade no Chile, um país próximo ao nosso?
 
Tremores da Terra
Assim como as explosões vulcânicas, os terremotos estão entre os fenômenos naturais que liberam muita energia. Os terremotos podem ser monitorados diariamente pelos sismógrafos, aparelhos distribuídos por todo o planeta destinados a detectar e medir a sua intensidade.
Embora a maioria dos terremotos passe despercebida pela população, uma vez que eles são de baixa intensidade, outros causam danos irreparáveis às pessoas e à economia dos países atingidos.
Chamam-se terremoto, abalo sísmico ou sismo os tremores bruscos e passageiros que acontecem na superfície da Terra.
Durante um abalo sísmico, abrem-se fendas e falhas na superfície terrestre, bem como deslizamentos de terra, que podem ocasionar estragos e muita destruição, em particular quando atingem regiões urbanas.
Quando os abalos sísmicos acontecem no mar, podem provocar maremotos e, em decorrência deles, enormes ondas marítimas, chamadas tsunamis.
Os tsunamis deslocam-se em alta velocidade e podem invadir cidades litorâneas, causando grande destruição do ambiente, seja ele natural, seja construído pelo ser humano. Assim como os terremotos, também os maremotos e os tsunamis são de difícil previsão.
Abalos sísmicos ou terremotos
Existem dois tipos de abalos sísmicos: os de origem natural e os induzidos.
Os terremotos naturais são causados, principalmente, pela movimentação constante das placas tectônicas, fenômeno conhecido como tectonismo, e também pelo vulcanismo. Os limites entre placas são classificados de acordo com o tipo de movimentação que sofrem:
• Convergentes: quando as placas se aproximam, mergulhando uma sobre a outra e fazendo que uma delas se eleve, dando origem a montanhas e cordilheiras. É o que ocorre, por exemplo, no encontro das placas Sul-Americana e de Nazca.
• Divergentes: quando as placas se afastam, gerando enormes falhas ou cânions. É o que ocorre entre os limites das placas Sul-Americana e Africana, por exemplo.
• Transformantes: quando elas escorregam lateralmente em relação a outra placa, como ocorre entre as placas do Pacífico e Americana. Às vezes, elas ficam presas entre si, acumulando energia. Quando se soltam e se movimentam, essa energia é liberada subitamente, dando origem ao terremoto.
Os terremotos induzidos artificialmente, ou seja, aqueles causados pela ação humana, têm menor intensidade se comparados aos terremotos naturais. São resultado de explosões, extração de minérios e de água subterrânea, ou podem até mesmo acontecer com a queda de grandes construções, como pontes e edifícios. Explosões e testes subterrâneos atômicos também provocam tremores que podem ser percebidos.
Efeitos dos terremotos
Os efeitos de um terremoto podem ser medidos de duas maneiras: pela energia que liberam ou pelo estrago que causam.
Os estragos provocados pelos terremotos são medidos em uma escala de intensidade chamada Mercalli . Essa escala é baseada nos efeitos produzidos pelos terremotos, como vibrações, rachaduras, quedas de casas etc., e dependem da região onde ocorrem: em uma área deserta, os estragos são menores, mas o mesmo terremoto, em uma área urbana, pode causar terríveis danos aos habitantes locais.
Outra escala usada para classificar terremotos e mais popularmente utilizada nos noticiários do rádio e da TV: a escala Richter. Essa escala mede a magnitude do tremor com base na energia liberada, o que independe do local onde o terremoto tenha ocorrido. Nela, a variação de intensidade de um nível para outro é da ordem de 10 vezes, ou seja, um terremoto de nível 5 é, aproximadamente, 10 vezes mais forte do que um de nível 4.
Terremotos no Brasil ?
Você já deve ter ouvido alguém falar: “Felizmente, não há terremotos no Brasil”.
Áreas de maior incidência
A maior incidência de terremotos ocorre nas zonas de contato entre as placas tectônicas em razão do atrito entre elas.
Ao localizar o Brasil em meio às placas tectônicas, você deve ter constatado que o País se encontra no meio da placa tectônica Sul-Americana. Essa posição contribui para que o Brasil esteja livre de terremotos de grande intensidade. Ainda assim, o Brasil não está totalmente imune a esses fenômenos, devido à existência de falhas geológicas nas placas tectônicas.
Pense sobre
É comum, no Brasil, comunidades se instalarem em áreas de risco, como encostas e regiões ribeirinhas. Caso houvesse vulcões no Brasil, será que comunidades também se instalariam em regiões próximas a eles? Por que isso aconteceria?
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!