Revolução Industrial

Inglaterra Pioneira
 
  • Acúmulo de Capitais; Modernização da Agricultura; Mão de obra barata e farta; Abundância de Carvão Mineral e ferro em solo inglês; Puritanismo; Revolução Gloriosa.
 
Máquinas
 
  • Spinning Jenny (1767), Tear capaz de tecer 8 fios de uma vez, operado por uma pessoa.
  • Water Frame (1769), Tear tendo água como força motriz, que dará origem ao sistema Fabril.
  • Mule (1779) mistura das duas anteriores.
  • Tear Mecânico (1785), acoplado a máquina a vapor, produzia muitas vezes mais que os outras anteriores.
  • Máquinas obrigam a procurar por materiais mais resistentes que a madeira, e em 1784, Henry Coite consegue produzir um ferro resistente, barato e fácil de produzir, que levara a invenção de mais duas máquinas: Barco a Vapor (1807) e locomotiva (1814).
 
A vida dos Trabalhadores
 
  • Dentro das Fabricas: Fabricas sujas, mal iluminadas e insalubres; Jornada de 14 a 18 horas; Trabalho Feminino e infantil (a partir dos 6 anos)
  • Fora das Fabricas: Habitações em cortiços, perto das fabricas e sujeitos a toda a poluição; Ruas de bairros operários de chão batido, sujas e com esgoto a céu aberto; Aluguéis caros que tiravam dinheiro da alimentação.
  • Primeiras reações foram a de sabotar e destruir as máquinas, movimento conhecido como Ludismo, em alusão ao pseudônimo operário Ned Ludd, que fora reprimido de forma violenta, inclusive com pena de morte a quem destruísse as máquinas.
  • Trabalhadores começam a promover greves e passeatas, que foram proibidas pelo Parlamento.
  • 1819, na cidade de Manchester, uma greve com 80 mil operários é duramente reprimida e 11 operários morrem.
  • Pressionado, o Parlamento reconhece os Trade Unios em 1824, que darão origem aos sindicatos.
  • 1838, os trabalhadores entregam ao Parlamento a Carta do Povo, que exigia: Voto Secreto; Abolição do voto Censitário; Pagamento de salário aos deputados.
  • Luta pela aprovação deu origem ao movimento chamado de Cartista, que leva a prisão e morte de vários líderes operários.
 
Luta não foi em vão:
 
  • 1833 - Limitação da jornada de trabalho das Crianças;
  • 1842 - Proibição do trabalho infantil e feminino nas Minas de carvão e ferro;
  • 1846 - Suspensão de impostos sobre o trigo, que encareciam o Pão;
  • 1847 - Jornada diária de 10 horas;
  • 1878 - Jornada semanal limitada a 60 horas;
  • 1919 - Jornada diária de 8 horas.
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!
WhatsApp do Educando Mais!