11. Discurso direto e discurso indireto

DISCURSO DIRETO
No discurso direto, o autor de um texto cita diretamente as palavras dos personagens que participam da história. Geralmente, a fala dos personagens vem depois de dois-pontos (:), seguida de travessão (–). Veja.
E uma criança, no meio da multidão, gritou:
– Mamãe, Papai Noel está chorando!
Pode-se também colocar a fala dos personagens entre aspas.
E uma criança, no meio da multidão, gritou: “Mamãe, Papai Noel está chorando!”
No discurso direto, os dois-pontos, em geral, vêm precedidos de verbos de elocução, tais como:
dizer – lamentar – segredar
propor – exclamar – desabafar
suspirar – responder – reclamar
gritar – concluir – perguntar
explodir – ameaçar – protestar
vociferar – atalhar – prometer
acrescentar – explicar
 
DISCURSO INDIRETO
No discurso indireto, não há diálogo. O narrador não põe os personagens falando diretamente, mas é o intérprete deles e transmite, a seu modo, o que pensam ou dizem esses personagens.
É comum, no discurso indireto, aparecerem as conjunções que ou se, verbos no tempo passado e na 3ª pessoa do singular ou do plural.
Agora observe um exemplo de discurso direto transformado em discurso indireto.
• Discurso direto
E uma criança, no meio da multidão, gritou:
– Mamãe, Papai Noel está chorando!
• Discurso indireto
Uma criança, no meio da multidão, gritou para a mãe, dizendo que o Papai Noel estava chorando.
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!