7 – Os seres vivos: As características dos seres vivos

Introdução
Nesta Unidade, você vai estudar as características dos seres vivos e como diferenciá-los dos elementos não vivos. Verá que, embora os seres vivos possam ser divididos em cinco grandes reinos (Monera, Protista, Fungi, Plantae e Animalia), esses grupos não são suficientes para incluir todas as formas de vida. Algumas delas não se enquadram em nenhum grupo porque têm características muito peculiares (próprias).
Por fim, você analisará mais detalhadamente os vírus e os reinos Monera, Protista e Fungi, podendo identificar semelhanças e diferenças entre eles. Conhecerá, também, a interferência de algumas espécies pertencentes a esses reinos na saúde humana, na economia e na sociedade em geral.
 
As características dos seres vivos
Neste Tema, você estudará as características que são comuns a todos os seres vivos e verá como a ciência evoluiu para chegar ao conhecimento que se tem atualmente sobre o assunto.
  • Na atmosfera que envolve a Terra, existem seres vivos que não se consegue enxergar?
  • Em sua opinião, quais são as características que diferenciam os seres vivos dos elementos não vivos?
 
Características dos seres vivos
A matéria que forma os organismos vivos é basicamente a mesma dos corpos não vivos. A diferença é que, nos corpos inanimados, ela é constituída apenas por substâncias inorgânicas, compostas por moléculas, em geral, relativamente simples.
Nos seres vivos, certos elementos químicos, como o carbono, o hidrogênio, o oxigênio e o nitrogênio, estão presentes em grandes proporções e compõem substâncias complexas. Essas substâncias são chamadas, genericamente, de substâncias orgânicas. São as proteínas, carboidratos, lipídios e outras.
Assim, os seres vivos são formados por substâncias inorgânicas e, além disso, apresentam, também, matéria orgânica, composta por grandes conjuntos de átomos, organizados em cadeias. Nessas cadeias, o carbono é o elemento principal.
Além da presença de matéria orgânica em grandes proporções, existe um conjunto de aspectos que também diferenciam os seres vivos dos elementos não vivos, como existência de um ciclo vital, reação a estímulos, reprodução etc.
 
Célula: a unidade da vida
Uma característica marcante dos seres vivos é que todos são formados por células.
Em 1665, o cientista inglês Robert Hooke (1635-1703) observou ao microscópio fatias muito finas de cortiça. Ele descreveu a cortiça como um conjunto formado por inúmeras e minúsculas cavidades, semelhantes aos favos de mel de uma colmeia.
Hooke deu o nome de célula a cada uma dessas cavidades. Hoje se sabe que a célula possui uma estrutura interna e é a unidade básica da vida.
Com o desenvolvimento dos instrumentos de observação e de pesquisas sobre as células, descobriu-se que não são todas as células que têm núcleo.
Então, elas foram divididas em dois grupos:
  • as procarióticas, como as células bacterianas, que não têm núcleo. Nessas células, o material genético (DNA) está espalhado no citoplasma;
  • as eucarióticas, que possuem uma membrana que delimita um núcleo (onde está o DNA) do citoplasma.
As células de animais e vegetais são do tipo eucariótica, ou seja, possuem uma membrana que envolve e isola o seu núcleo. E, embora as células de animais e plantas sejam bastante parecidas, existem diferenças significativas entre elas.
Os seres pluricelulares são aqueles formados por diversas células, como é o caso das plantas e dos animais, incluindo o ser humano.
Nos seres pluricelulares:
  • as células se agrupam em tecidos (epitelial, adiposo, muscular etc.);
  • os tecidos se juntam em órgãos (pele, fígado, rins, cérebro etc.);
  • o conjunto de órgãos constitui sistemas (respiratório, circulatório, digestório etc.);
  • o conjunto de sistemas forma os organismos (pessoas, animais, plantas etc.).
Para manter a célula funcionando, o organismo precisa realizar um conjunto de reações químicas que lhe forneça energia. Esse conjunto de reações químicas necessárias para a manutenção da vida e para a reprodução das células é chamado metabolismo.
A respiração, a digestão, a transpiração e o sono são exemplos de funções que fazem parte do metabolismo dos seres vivos. Toda ação que requer o uso de energia em um ser vivo envolve seu metabolismo.
 
Reação a estímulos
Outra característica que distingue os seres vivos dos elementos não vivos é a capacidade de reagir a estímulos. Todos os seres vivos respondem a estímulos. Esses estímulos podem ser:
  • físicos: mudança de temperatura, pressão, luminosidade etc.; ou
  • químicos: poluição do ar, ingestão de alimentos, remédios etc.
As plantas também respondem a estímulos, embora mais lentamente que os animais. São exemplos conhecidos o crescimento das plantas em direção à luz, o fortalecimento dos vegetais quando se usa adubo, o movimento de abrir e fechar nas plantas carnívoras para atrair e se nutrir de insetos, entre outros.
 
Ciclo vital
Outra característica dos seres vivos é que todos passam por diversas fases, realizando o chamado ciclo vital: nascem, crescem, se reproduzem, envelhecem e morrem. Embora alguns organismos não completem todo o ciclo, ele acontece nas espécies em geral.
 
Reprodução
A reprodução, processo pelo qual os seres vivos geram descendentes para perpetuar a espécie, é outra de suas características. A reprodução pode ser sexuada ou assexuada.
  • Reprodução sexuada: ocorre quando existe a fusão de duas células sexuais ou reprodutivas – chamadas gametas –, como o espermatozoide (gameta masculino) e o óvulo (gameta feminino), entre dois indivíduos da mesma espécie, macho e fêmea. Como há uma combinação das características do macho e da fêmea em seus descendentes, eles nunca são idênticos aos pais, o que favorece a diversidade.
  • Reprodução assexuada: é realizada de maneira isolada, pelo próprio indivíduo, que dá origem a outros seres idênticos a ele, ou seja, não envolve a fusão de células sexuais entre dois indivíduos da espécie. A reprodução assexuada é particularmente visível nas plantas, como as bananeiras, mas ocorre também com alguns tipos de ameba, certas bactérias, estrelas-do-mar e esponjas marinhas, entre outros organismos.
 
Adaptabilidade
Outra característica dos seres vivos é a adaptabilidade, desenvolvida durante muito tempo, que permite a sobrevivência e a reprodução da espécie em determinado ambiente. Ela é bastante influenciada pela variabilidade e pelo processo de seleção natural.
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!
WhatsApp do Educando Mais!