7 - Litosfera

A litosfera é a camada da Terra compreendida entre a atmosfera e a astenosfera (camada viscosa superior ao manto). A palavra “litosfera” tem origem grega: lithos, significa “pedra”, “rocha” e como a própria etimologia sugere, podemos defini-la como a camada constituída pelas rochas da esfera terrestre – formada tanto pela crosta continental quanto pela crosta oceânica (que está submersa pelas águas dos mares e oceanos).
A litosfera é também chamada de crosta terrestre. Se a “perfurarmos” até 60 quilômetros de profundidade, encontraremos a partir daí, outras duas camadas:
O sial – composto predominantemente por silício e alumínio – é a camada mais externa. Sua profundidade varia entre 15 a 25 quilômetros.
O sima – essencialmente composto de silício e magnésio – apresenta maior densidade que o sial e tem espessura entre 30 a 35 quilômetros.
 
Formação
Se remontarmos ao início da formação da Terra – há aproximadamente 4,5 bilhões de anos – saberemos que o nosso planeta foi durante milhões de anos uma esfera incandescente formada por gases e rocha líquida. Com o decorrer do tempo geológico, a superfície do planeta – a litosfera – foi lentamente se resfriando e as rochas gradualmente foram adquirindo a consistência mais firme que conhecemos hoje.
O processo de resfriamento da superfície e consolidação das rochas promoveu a liberação de gases que viriam mais tarde a constituir a atmosfera – camada gasosa que envolve a Terra.

Características da litosfera
A espessura desta camada pode variar entre cerca de 40 km a 280 km de profundidade. Ela termina no local onde os minerais na crosta terrestre começam a ficar mais viscosos e fluidos. A profundidade certa onde se dá a solidificação dos materiais depende de vários fatores: a composição química do local, as condições de temperatura e de pressão que atuam sobre o material.
A litosfera é constituída por minerais e rochas – agregados sólidos naturais compostos de um ou mais minerais. As rochas podem ser metamórficas, sedimentares ou magmáticas (também chamadas de ígneas).
Apesar de ser a camada menos espessa da esfera terrestre – o manto tem cerca 4.600 km de profundidade e o núcleo 1700 km – é com certeza a mais importante para o ser humano, pois é nessa camada que ocorrem os fenômenos formadores das rochas, dos minerais, dos solos e das formas do modelado terrestre.

A litosfera é um “quebra-cabeças” dinâmico
A litosfera, ao contrário do que se possa imaginar, não é uma camada estática. Ao contrário, os minerais, as rochas, os solos, o relevo e a própria camada estão em constante transformação. Este dinamismo deve-se a um conjunto de forças que atuam sobre esta camada. Estas forças podem ser classificadas em forças internas e externas.

Forças externas ou forças exógenas
São forças originadas na atmosfera, pela ação das águas superficiais e subterrâneas, pela gravidade, além da ação humana. As chuvas, o vento, rios, mares, e o ser humano atuam no modelado terrestre, modificando o relevo, formando solos e transformando a litosfera.

Forças internas ou forças endógenas
São forças oriundas das camadas mais profundas da Terra. São essencialmente o vulcanismo e a atividade tectônica – ou tectonismo. A atividade tectônica é resultado da interação das enormes placas que constituem a litosfera - as chamadas placas tectônicas. Elas são como “um quebra-cabeças”, com “peças” de diferentes tamanhos que colidem, se afastam e moldam a litosfera hoje e há milhões de anos.
Educando Mais! Todos os direitos reservados - © 2019 Educando Mais! 
  • Facebook
  • Canal Educando Mais!
  • Instagram
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • Rádio Educando Mais
  • RSS ícone social
E-mail do Educando Mais!